Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de uma Estudante Universitária

A visão de uma estudante universitária sobre a sua vida académica e pessoal.

Vida de uma Estudante Universitária

A visão de uma estudante universitária sobre a sua vida académica e pessoal.

13
Out14

Frequências

E pronto, o dia tinha que chegar. E chega amanhã. A primeira frequência deste semestre! Não há como adiar, não há como fugir. Mais tarde ou mais cedo elas aparecem e obrigam-nos a estudar. Nem que seja para não ficar com o peso na consciência de não o ter feito. Com elas, vêm mais uma dúzia de coisas. A pressão, as horas intensas de estudo, o medo de falhar, o nervosismo. Põe-me todas as más sensações à flor da pele. Às vezes acho que até entro em paranóia com as avaliações mas quando dou por isso tento-me controlar ao máximo. Já é o 3ºAno nesta vida académica. Desta vez não pode ser muito diferente. O facto de estar habituada nem ajuda assim tanto como se pensa. Afinal já sabemos por aquilo que vamos passar. E sabemos que não é nada bom. Durante a época de frequências/exames, tenho dias em que sou a pessoa mais stressada deste planeta, nos quais ninguém me pode aparecer à frente. Noutros, sou muito calma. Nada contraditória. Sei que por vezes não me esforço como devia mas a preguiça - que é muita - também não me ajuda em nada. Só tenho medo de falhar os meus objetivos e não conseguir as notas que ambiciono. Sou demasiado rigorosa comigo própria. Isso não é necessariamente mau mas também não tem nada de espectacularmente bom. A partir de agora tenho frequências todas as semanas até ao mês de Novembro. Não vou ter descanso praticamente nenhum até lá mas estou positiva. Pelo menos hoje estou (Amanhã logo se vê). E em vez de estar para aqui a dizer baboseiras, o melhor mesmo é enfiar a cabeça nos livros para depois não me vir para aqui queixar do que deveria ter feito e não fiz. Vou precisar de muita inspiração divina para algumas frequências. Que o Deus do Estudo esteja convosco!

10
Out14

Filmes

Hoje não tive aulas e, como já estava fartinha de estudar, resolvi juntar-me a umas amigas para arejar as ideias. Acabámos por ficar em casa de uma delas a ver um filme, Mestres da Ilusão. O filme é de 2013 mas como sempre eu ainda não tinha visto. Elas são totalmente o contrário de mim. São autênticas devoradoras de filmes e, como tal, já tinham visto este... Vimos uma lista infindável de filmes para escolhermos um para ver. Elas já tinham visto a maioria, não sei como. Resolvemos então ver este porque se não nunca mais saímos dali. Realmente é um bom filme! O início é meio confuso, não se percebe bem o que se está a passar ou para onde a história irá seguir (ou então sou eu que sou um bocado burra e não percebi) mas com o desenrolar dos acontecimentos as coisas vão se tornando mais claras, apesar de haver um certo suspense até ao fim. Gostei muito e fiquei contente porque ao pesquisar na internet, vi que vai existir um segundo filme. Vou certamente esperar para o ver! E vocês, conhecem o filme? Aposto que era a única que nunca tinha visto. Sou sempre a atrasada.

now-you-see-me-banner.jpg

 

 

08
Out14

Ainda sobre as bibliotecas...

Fiz ontem um post sobre bibliotecas a queixar-me de que não gostava muito daquela que frequentava. Depois lembrei-me de ir ver como é que a coisa funcionava noutros países. Há sempre aquela curiosidade de saber se é tudo parecido ou totalmente diferente. Eis que encontrei um artigo no The Telegraph sobre as bibliotecas mais espectaculares do mundo. Fui logo vê-las todas e há realmente bibliotecas muito, muito bonitas. Podem carregar no link se tiverem curiosidade de as conhecer todas. As que mais me saltaram à vista foram estas quatro:

codrington-library_2705755k.jpg1. The Codrington Librabry, All Souls College, Oxford

Gira, gira, gira!

strahov-abbey-prag_2705741k.jpg2. The Theological Hall, Strahov Abbrey, Prague

Esta só por si seria um óptimo motivo para ir à República Checa.

Imagino é o trabalhão que deve dar arrumar tanto livro...

biblioteca-joanina_2705752k.jpg

 3. Biblioteca Joanina, Coimbra

Esta para mim foi uma grande surpresa! Leitores de Coimbra, vocês estão feitos comigos! Então isto existe na vossa terra e ninguém me dizia nada??? Como é possível? Quando for a Coimbra, vai ser paragem obrigatória.

George-peabody-library.jpg

 4. The George Peabody Library, Baltimore, USA

Deixei para o fim a que considero a mais espectacular de todas. Faz parte da The Johns Hopkins University que se localiza nos Estados Unidos. Fiquei completamente boquiaberta quando vi a primeira foto e resolvi logo pesquisar mais. Num sítio destes até dava gosto estudar! Quem me dera que houvesse uma assim em Portugal.

 

 

07
Out14

Bibliotecas

Não é que eu goste de estudar, mas tenho que o fazer. E se tenho que o fazer, prefiro que seja num sítio agradável, onde me sinta bem e onde me possa concentrar o máximo possível. No meu 1ºano na faculdade, estava sempre naquelas salas que estão abertas 24h e que todas (ou quase todas) as faculdades têm. Escusado será dizer que fazia praticamente tudo menos estudar. De repente lá aparecia um baralho de cartas vindo do além e o estudo ficava sempre em segundo plano. Nessa mesma altura, via algumas pessoas do 2º e do 3ºano sempre na biblioteca da faculdade. Então na época de frequências (leia-se tortura), estavam lá todos, todos os dias. Eu não percebia aquilo. Achava estúpido e estranho o facto de conseguirem passar lá tanto tempo. Depois, cheguei ao 2ºano e percebi. Deixei de estar tanto na dita sala e passei a ir mais para a biblioteca. Até fiquei admirada comigo própria por essa extrema mudança, mas aos poucos percebi que aquilo era realmente útil e se tornava cada vez mais produtivo ao ponto de passar lá algumas horas da semana. Neste 3ºano, comecei pela tal sala novamente. Não para estudar, é claro. Com 3 anos de curso já percebi que não é possível fazer tal coisa naquele sítio. É mais numa de conviver porque é onde toda a gente convive e conversa. No entanto, sei que quando a matéria começar a apertar - que já está a acontecer - lá vou eu parar novamente à biblioteca. No meio disto tudo só há uma coisa que me chateia. Não gosto muito da biblioteca da faculdade! Situa-se no piso -1 pelo que não tem propriamente janelas e a luz natural é um pouco escassa. Não gosto de estudar assim. Gosto de poder olhar pela janela e ter uma vista agradável para um jardim ou algo do género. E não encontro nada disto na biblioteca que frequento. Como tal, queria-vos perguntar, pessoas entendidas no assunto, se conhecem alguma biblioteca em Lisboa que tenha estas características. Brevemente vou ter que me refugiar num local destes e gostaria de o fazer num sítio no qual me sinta minimamente confortável para tornar o processo de estudo o menos doloroso possível. 

 

06
Out14

Eu queria...

1156304_gi2_20130107.jpg

 

Há uns tempos descobri o anel que está na imagem enquanto navegava pela internet. É da Swarovski. Apaixonei-me imediatamente! Foi amor à primeira vista e desde então que ele me persegue no pensamento. É giro que dói. Juro, nunca gostei tanto de um anel como deste! Mas há sempre algo para estragar a coisa. Guess what? Custa 149€. Auchhh! Até me dói a alma só de pensar no preço. Já pedi à minha mãe e é claro que ela me mandou dar uma volta. Outra coisa não seria de esperar. Resta-me ficar a olhar para as fotos e a sonhar com ele porque este de certeza que não vai ser meu.

 

05
Out14

Leva-te o tempo

Foste. Nunca se soube bem como nem porquê. Nunca tentaste explicar, muito menos redimir-te. Mas foste. Cada vez foste mais e levaste uma parte de mim. Minto. Levaste-me por inteiro porque não se ama pela metade. Não há meios amo-te nem meias entregas. Restou um corpo sem ser, sem alma, sem nada. Fugiste. Afastaste-te. Cada vez mais até te esqueceres de mim. Ou até achares que te tinhas esquecido. Parabéns! O papel assenta-te na perfeição. Depois de tanto tempo consegues fingir que eu não existo. Não sei se é medo ou apenas desprezo. Medo de não conseguires dizer não. Medo de sentires o que não queres ou desprezo nu e cru. Conheceste-me tão bem. Conheceste-me melhor do que ninguém e agora finges que não me conheces. Ironia do destino. Não é possível que nunca te lembres de mim quando eu nunca te esqueci por completo. Não é possível, porque o meu coração ainda conhece o teu. Dói quando passas e me ignoras. Dói mais ainda não ser capaz de ignorar-te da mesma forma. Era o que tu merecias. Na verdade, não mereces nada de mim. Nem mesmo aversão. No entanto, tens tudo. Mesmo sem querer, mesmo sem saber. Tens tudo de mim. Porque eu tenho em mim tudo de ti. Tudo o que foste, tudo que me deste. Mas tudo não passa de ilusão. Tudo pertence ao passado. E eu só queria que fosses um nada quando és um tudo. Queria mesmo.

03
Out14

Doente

Como não tinha nada para fazer, resolvi contrair uma infecção urinária. Boa Ana! Há imenso tempo que não estava doente, nem com uma constipaçãozinha ou gripe. Já estava a estranhar não me acontecer nada e pronto. Eis que esta noite surgiram os sintomas. Devido ao curso onde estou e de ouvir falar, todos os dias, em centenas de doenças disto e daquilo, sintomas e respetivos tratamentos, tive logo uma forte suspeita do que se tratava. Hoje lá fui ao médico. Quem me conhece sabe que isto é quase um milagre porque quase nunca lá ponho os pés, mas a coisa estava realmente a complicar-se e uma pessoa começa logo a ficar com medinho que seja algo mais grave. O diagnóstico que tinha feito confirmou-se realmente. Agora é tomar os medicamentos e esperar que passe. Até lá sou Ana, a quase incontinente. Prazer!