Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de uma Estudante Universitária

A visão de uma estudante universitária sobre a sua vida académica e pessoal.

Vida de uma Estudante Universitária

A visão de uma estudante universitária sobre a sua vida académica e pessoal.

29
Nov14

Fui rica noutra vida

Não sei se já aqui tinha dito mas eu vejo muito mal. Deve ter sido por volta dos 11/12 anos que comecei a usar óculos. Sinceramente nunca achei muita graça a situação. Não gostava de me ver com óculos. E então, passados alguns anos, decidi que estava farta de os utilizar e foi então que comecei a falar com o médico sobre a possibilidade de vir a utilizar lentes de contacto. Depois de muita conversa, lá trouxe as lentes para casa. Até hoje nunca mais quis outra coisa. Para mim, é das melhores invenções do mundo. Já uso há alguns anos e até agora nunca tive qualquer problema, felizmente. Apesar de usar as lentes de contacto, nunca me livrei dos óculos. Mas pelo menos utilizo-os muito menos vezes. Pois bem que os óculos que eu tenho ainda são o segundo par que comprei, ou seja, já os uso há imensooooo tempo. Tudo bem que só os uso em casa ou quando faço viagens grandes e assim, mas eles chegaram a um ponto em que tinham mesmo que ser substituídos. Estavam mais tortos que sei lá o quê. Então lá fui eu toda contente à loja comprar uns oculinhos novos. Experimentei uns quantos, 10 ou 20 para ser mais precisa. No que toca a este tema eu sou muito, mas muito esquisitinha. Portanto desses todos, gostei para aí de 4 pares. Quando os reduzi ao par que efetivamente achei que me ficava melhor, fiquei toda feliz. Até ver o preço. Eram uns Valentino. Provavelmente escolhi os mais caros da loja porque havia armações a custarem menos de metade que aquela. De certeza que fui rica noutra vida porque eu tenho sempre olho para as coisas mais caras. Vida injusta. Apesar de tudo, acabei por comprar na mesma. Afinal, eram aqueles que gostava mais e que, a meu ver, me ficavam melhor. Os meus pais é que são capazes de não achar muita piada a esta ideia mas vá, eles não precisam de saber os pormenores todos da compra, pois não?! É claro que eu não ia trazer algo que não gostasse de ver quando é uma coisa para durar uns belos anos. Pronto, é isto. Doeu-me na alma mas tinha que ser. 

28
Nov14

Séries

63.png

 

Terminou esta semana uma das minhas séries preferidas e é este o sentimento atual. Podia ser pior se a série tivesse acabado de vez, aí provavelmente nem conseguia curar a depressão e nunca mais saía de casa. Mas vendo as coisas pelo lado positivo (ou tentanto, vá), a série volta no próximo ano. Pelo menos isso... Só que só volta lá para Abril. A questão é: o que é que se faz nos intervalos entre as temporadas?! É que parecendo que não, uma pessoa acaba por se habituar à história e às personagens. Até lhes damos montes de conselhos, apesar de nunca nos ligarem nenhuma. Quando uma série termina, é sempre uma grande chatice. Deviam criar uma terapia para casos de depressão pós-séries. Eu ia para lá lamentar-me. 

28
Nov14

Há coisa mais triste?

Pois, dizem por aí que hoje é a black friday. Só se for para vocês. Há descontos nas lojas que mais gosto com os quais poderia comprar imensas coisas giras para renovar o meu guarda-roupa. Isto tudo se tivesse dinheiro, claro. Assim sendo, a black friday passa-me completamente ao lado. É claro que gostaria de me enfiar num centro comercial e aproveitar as mil promoções que existem e que tanto jeito me iriam dar mas não vai ser desta vez. Posto isto, tudo o que seja publicado no facebook, blogs e fontes do género, nem sequer vou abrir para não sentir inveja. Graças a Deus que Dezembro está quase, quase aí porque a minha conta bancária já deu tudo o que tinha a dar este mês. Venha o Natal para ver se finalmente consigo comprar umas coisinhas novas que isto de vestir sempre a mesma roupa é coisa para me deixar deprimida. No caso de vocês, queridos leitores, aproveitarem hoje os descontos, digo-vos que são uns grandes feios (Estou a brincar, não se chateiem...). Aproveitem por mim que eu não posso!

25
Nov14

Natal?

Como assim já só falta um mês para o Natal? Como assim o mês de Novembro começou ontem praticamente e já estamos no final? O tempo anda a passar muito rápido. Demasiado rápido. E eu não estou a gostar nada desta ideia...

22
Nov14

OneRepublic

Aposto que toda a gente já está farta dos meus posts sobre os OneRepublic por isso prometo que este será o último. Se não já sei que metade de vocês deixam de cá vir... Este post serve só mesmo para dizer que o concerto foi do caraças! Que superou mil vezes as expectativas que eu eventualmente pudesse ter. Fiquei bastante à frente, o que me deixou muito contente porque da última vez que fui a um concerto tinha um cabecudo à frente (nada fixe). Desta vez consegui ver tudo muito bem! O vocalista canta lindamente. A voz é tal e qual o que costumamos ouvir nas músicas e faz uns agudos incríveis. Valeram todas as horas de espera e as dores nas pernas. Estou definitivamente a ficar velha porque já não me aguento umas horinhas em pé sem me queixar... Para terminar só tenho a dizer que quando cá voltarem, vou certamente voltar a vê-los.

Capturar111.PNGFotografia roubadíssima do twitter dos OneRepublic. As minhas ficaram tão boas que até metem nojo...

 

20
Nov14

Trabalhos de grupo

A maioria das frequências já estão feitas. Finalmente posso respirar de alívio! Mas não muito... É claro que não nos iam deixar sem nada para fazer. Isso nunca acontece. Por isso, passadas 6 frequências, espetam-nos com 5 trabalhos de grupo. Toma lá para ver se gostas. Já vos disse que os meus professores são os mais queridos do mundo? E não é que resolvem TODOS mandar fazer trabalhos de grupo ao mesmo tempo? Aposto que eles combinam só para nos lixar a vida. Aposto mesmo. Portanto, agora sinto-me um bocado aliviada, sem grande pressão para fazer as coisas. Quando chegar a altura das entregas e apresentações, vou entrar em pânico. É que ainda por cima, 3 dos 5 trabalhos são para apresentar na mesma semana. Tão bom não é?! Agora vou só ali ler 5 mil artigos sobre padronização do consumo de medicamentos, transplante de tecidos, reconstrução do tracto urinário, técnica asséptica hospitalar e mais um milhão de coisas que não me lembro de momento. Não vai doer nada. Até porque eles não estão todos em inglês nem nada... Não vai ser de todo secante.

15
Nov14

Que nervos

Odeio que me interrompam quando estou a fazer um trabalho. Odeio mesmo! Odeio quando me chamam para jantar quando estou a meio de um trabalho importante. É coisa para me pôr os nervos em franja que se eu não faço as coisas todas seguidinhas, a minha vida baralha-se toda. Vocês não têm a noção do quanto isto me irrita e me faz comichão. Quando começo um trabalho, não há chamadas telefónicas atendidas nem mensagens respondidas a ninguém, quer seja no telemóvel, no facebook ou noutra coisa qualquer. Não dá. Tenho que estar com a concentração no máximo. E se me distraem está o caldo entornado. Ontem aconteceu isso. O meu pai não deve perceber a simples frase "Estou a trabalhar. Não fales para mim enquanto não acabar isto!". À primeira vista é capaz de parecer um bocadinho rude mas lá no fundo nem é exatamente o que parece. Só quero estar no meu mundo e fazer as coisas à minha maneira, sem ter ninguém a melgar-me. Mas parece que isso às vezes é complicado. Posto isto, num próximo trabalho vou bloquear o Facebook, o Youtube e o 9GAG, desligar a televisão, silenciar o telemóvel e não menos importante, trancar o meu pai num sítio qualquer para que ele não me mande ir jantar. Talvez assim consiga ter a paz que preciso e não me enervar até à ponta dos cabelos que é coisa que acontece sempre.

Pág. 1/3

Mais sobre mim

foto do autor

Segue-me

Follow

Mensagens

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D