Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Vida de uma Estudante Universitária

A visão de uma estudante universitária sobre a sua vida académica e pessoal.

Vida de uma Estudante Universitária

A visão de uma estudante universitária sobre a sua vida académica e pessoal.

27
Mar15

Não sei...

São poucas as vezes que isto me acontece. Sentir-me perdida é raro. Felizmente. Mas neste momento não sei bem o que fazer à minha vida. Não sei para que lado remar. Ainda mais por não saber para onde vai o teu barco. Era tudo mais fácil se me desses orientações, se me guiasses. Mas o que sabes fazer melhor é deixar-me à deriva. Já passou algum tempo. Pouco, é certo. Depois de tudo, acreditei que não ia dar em nada. Não deste um único passo na minha direção. Não me deste nem um sinal de que querias resolver as coisas. E por isso conclui que era assim que querias ficar. Tu no teu canto e eu no meu. Acabei por aceitar. Não era bem a minha vontade mas aceitei. Aceitei que não ia passar disto. Vi-te menos vezes e achei que estava a ultrapassar. Se os olhos não vêem, ajudam a mente a esquecer. Mas entretanto tinha que acontecer algo para destabilizar. Sabia que ias lá estar porque toda a gente lá estava. Seria inevitável o nosso encontro ali. Naquele momento. Não nos aproximámos, já estava à espera. Mas senti algo diferente da tua parte. Sei que estiveste de olhos postos em mim a maior parte da noite. Eu fiz o mesmo. E quando os nossos olhares se cruzavam, havia uma faísca tão grande que ia jurar que havia química. Tentei dizer-te tudo o que queria com o olhar. Não sei se também tentaste mas não consegui perceber. És um enigma. Difícil de decifrar. Mas senti que foi diferente. Nunca me tinhas olhado assim. Até agora só sentia indiferença e afastamento da tua parte. Desta vez foi diferente. Queria falar contigo mas não consegui. Não tive coragem. Eu só queria esclarecer tudo! De uma vez por todas. E depois de olhar para ti achei mesmo que tínhamos muito por esclarecer. Só queria acabar com estes fantasmas. Mas tenho medo. Medo de te ser indiferente. Não te percebo mas dava tudo para perceber. E eu sei que isto provavelmente não nos vai levar a lado nenhum, tal como tem sido até agora. Mas agradeço-te só por me teres feito esquecer a pessoa de quem mais gostei na minha vida. Mesmo sem saberes. Mesmo sem teres feito quase nada. Só isso é um motivo para querer estar a teu lado... Mas não sei se sou digna de ti. 

4 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Segue-me

Follow

Mensagens

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D