Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de uma Estudante Universitária

A visão de uma estudante universitária sobre a sua vida académica e pessoal.

Vida de uma Estudante Universitária

A visão de uma estudante universitária sobre a sua vida académica e pessoal.

04
Nov14

Assédio

Estava no fim de semana a ler o Público e encontrei este vídeo que me chamou a atenção. Ao que parece esta atriz esteve durante 10 horas a caminhar pelas ruas de Nova Iorque como forma de alerta para o assédio que muitas mulheres sofrem. O resultado está à vista! Ela foi abordada por imensos homens, recebendo mais de 100 comentários. Como é que em 10 horas, o número pode ser tão elevado? É certo que nenhum dos comentários - pelo menos os que aparecem no vídeo - é ofensivo. Os homens não lhe disseram nada de especial nem nada que seja mais porco... Exceptuando claro aquele tipo que andou atrás dela durante 5 minutos. Se fosse comigo, era coisa para ficar assustada e fugir. Mas isto também sou eu que sou um bocado maricas. O estranho disto tudo é que ela ia vestida de uma forma completamente normal, calças e t-shirt. Não estava de calções ou vestido nem ia vestida de forma provocante e mesmo assim foi abordada imensas vezes. Não sei se é só em Nova Iorque que isto acontece mas por cá não vejo situações destas com proporções tão grandes. Ou então passam-me completamente ao lado. No meu caso pessoal, oiço uma coisinha ou outra às vezes. Nada de  especial. Mas também nunca me disseram "Tem um bom dia" ou perguntaram se eu estava bem, foi sempre coisas um pouco mais "agressivas". Das restantes pessoas que conheço, nomeadamente as minhas amigas, é a mesma coisa. Também não é nada de mais ao ponto de ouvirem um tão grande número de homens a assediá-las. Bem, o objetivo deste vídeo era mesmo alertar para o assédio que acontece, mesmo quando as mulheres não têm um decote ou uma mini-saia. Parte do objetivo está cumprido porque as visualizações deste vídeo dispararam durante esta semana. Se estiverem interessados em ler mais sobre esta campanha cliquem no link que está lá em cima!

27
Set14

Homens

Há uns dias uma amiga minha enviou-me esta imagem na brincadeira. O que é certo é que fiquei a pensar no assunto! Reflecti sobre isto durante algum tempo e cheguei à conclusão que não conheço muitos homens solteiros e decentes. A parte do atraentes já vem por acréscimo se não teria que os considerar uma espécie ainda mais em extinção do que os pandas ou o lince-ibérico. É verdade, contam-se pelos dedos os homens que eu conheço que preenchem estes requisitos. Para aí dois... Juro que pensei muito e não me consegui lembrar de mais. É triste mas é verdade. Já dizem há muito que existem sete mulheres para cada homem. Se formos restringir a coisa a características em particular, vamos eliminando a maioria deles da lista e ainda se torna mais difícil. Quero acreditar que eles existem, mesmo que seja numa quantidade francamente baixa, e que sou eu que (ainda) não os conheço. Não pode ser assim tão complicado encontrar um homem em condições. Eu é que devo ser a azarada.

12
Jul14

Homens deste país

Vocês são uma espécie muito estranha. Muito esquisita. Como ousam sequer dizer ou mesmo apenas pensar que nós, mulheres, não sabemos o que queremos, somos seres impossíveis de compreender? Eu é que não vos compreendo. Já por várias vezes me questionei sobre o mesmo assunto. Já me aconteceu a mim, já aconteceu a amigas minhas. Aliás, penso que já aconteceu a todas as mulheres. Qual é que é a vossa de pedir o número de telefone e nunca ligar? É para aumentar o tamanho da lista telefónica? Ou para dizer ao amigo que arranjaram mais uma conquista que por sinal nem voltam a ver? Isto para mim não tem qualquer sentido. Onde é que, num mundo normal, uma pessoa se mostra interessada e depois faz de conta que nunca se conheceram... Eu se alguma vez pedisse o número de telefone a alguém, no mínimo telefonava ou mandava uma mensagem. NO MÍNIMO! Nem que fosse para dizer que não fiquei interessada. Agora uma mulher pressupõe que quando lhe pedem o número de telefone será para lhe telefonarem. Digo eu! (Que aparentemente não percebo nada do assunto) Homens deste país, vocês sabem que nós, mulheres, pensamos demasiado nas coisas. Se for preciso, remoemos o assunto até cinco anos depois. Por isso, não peçam números de telefone se a vossa intenção não é ligar. Só vão fazer com que a pobre coitada fique sempre a pensar o assunto e a tentar perceber o que é que fez de errado quando a culpa é somente vossa. Eu sei que este post parece um ataque aos homens. Na verdade, é mesmo. Mas se tiverem alguma explicação plausível para isto, eu estou cá para vos ouvir.

P.S: Seguidores masculinos deste meu blogue, não se sintam ofendidos. Eu sei que vocês são boas pessoas.