Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de uma Estudante Universitária

A visão de uma estudante universitária sobre a sua vida académica e pessoal.

Vida de uma Estudante Universitária

A visão de uma estudante universitária sobre a sua vida académica e pessoal.

20
Nov14

Trabalhos de grupo

A maioria das frequências já estão feitas. Finalmente posso respirar de alívio! Mas não muito... É claro que não nos iam deixar sem nada para fazer. Isso nunca acontece. Por isso, passadas 6 frequências, espetam-nos com 5 trabalhos de grupo. Toma lá para ver se gostas. Já vos disse que os meus professores são os mais queridos do mundo? E não é que resolvem TODOS mandar fazer trabalhos de grupo ao mesmo tempo? Aposto que eles combinam só para nos lixar a vida. Aposto mesmo. Portanto, agora sinto-me um bocado aliviada, sem grande pressão para fazer as coisas. Quando chegar a altura das entregas e apresentações, vou entrar em pânico. É que ainda por cima, 3 dos 5 trabalhos são para apresentar na mesma semana. Tão bom não é?! Agora vou só ali ler 5 mil artigos sobre padronização do consumo de medicamentos, transplante de tecidos, reconstrução do tracto urinário, técnica asséptica hospitalar e mais um milhão de coisas que não me lembro de momento. Não vai doer nada. Até porque eles não estão todos em inglês nem nada... Não vai ser de todo secante.

14
Nov14

Os e-mails nunca respondidos

Aquele momento em que mandamos 3 e-mails a um mesmo professor e, mesmo assim, podemos apostar que ele não vai responder a nenhum. Quando abrir a caixa de mensagens vai pensar: "Que chata é esta que me encheu a caixa de e-mails?". E vai ter razão porque eu admito, sou mesmo chata. E o conteúdo dos e-mails é igualmente chato. E por esses mesmos motivos ele vai desistir de responder logo quando ler a primeira frase. Espero que depois disto o professor não venha falar comigo a dizer que não posso fazer absolutamente nada do que lhe disse por e-mail. É que aí fico completamente lixadaaaaa e vai um trabalho e uma vida toda por água abaixo!

19
Jun14

A saga dos professores

Já por aqui falei nos professores esquisitos que tenho vindo a encontrar ao longo destes dois anos em que estou na faculdade. Eis que entretanto me lembrei de uma situação que nunca tinha aqui referido. Como é que me pude esquecer disto?! Passo então a explicar: a Paula (Dra. Paula, vá) foi minha professora no primeiro ano de faculdade. Esta, para além de professora, é também médica. Mais especificamente, é anatomopatologista. Se não souberem o que é, espreitem no sr. google que ele é um rapaz culto, mas posso dizer que, no caso dela, está relacionado com autópsias e coisas do género. Isto está a ficar interessante não está? Pois bem que a professora Paula achou que, numa aula completamente normal (achava eu), seria útil mostrar uma imagem muito engraçada. Era uma daquelas imagens de órgãos que quem está na área de saúde sabe que são o pão nosso de cada dia e que eu, por acaso, teimo sempre em interpretar como qualquer-coisa-esquisita-que-não-sei-o-que-é-mas-que-faz-parte-do-corpo-humano. E o que é que estava nessa tal imagem? Perguntam vocês! Pois perguntam bem. Era um útero! Mas desengane-se já quem pensa que era um útero qualquer. Um útero vulgar. Não! Era o útero da Elsa! Não sabem quem é a Elsa? É uma amiga da professora, pois claro. Estão a ver o que é a professora dizer: "Queridos alunos, esta é imagem do útero da minha amiga Elsa.", toda a gente parou pensando que uma estranha força da natureza se tinha apoderado da cabeça da professora e que esta se tinha transformado num ser alienígena cuja capacidade de raciocínio se tinha desvanecido em poucos segundos. Mas eis que surge um "Não se preocupem que eu pedi-lhe autorização para usar a fotografia". Ahhhh pronto, então se pediu autorização está tudo bem! Com certeza que isso torna a situação muito mais normal, possa. 

Mesmo sem conhecermos a Elsa, conhecemos o seu interior. Obrigada professora Paula! Que experiência enriquecedora.

18
Jun14

Das cadeiras que nos encantam

Nunca pensei ser médica por duas razões. A mais óbvia: não tinha média para isso. A outra: não vejo qualquer prazer em fazer operações e coisas desse género. Acho que se estivesse nesse curso desistia logo a partir do momento que fosse para as aulas práticas de Anatomia. De resto, admiro imenso quem está nessa profissão. Têm um conhecimento infindável! Às vezes até fico estupefacta com as coisas que os meus professores que são médicos sabem. De qualquer das formas, se alguma vez estivesse nessa área, acho que escolheria ser Alergologista. Esta foi uma paixão (se é que posso chamar assim) descoberta recentemente, muito por causa de uma cadeira que tenho que é Imunologia. É de longe a cadeira que mais gosto este semestre e penso que é, de todo o curso, das que mais gostei até agora. Eu gosto mesmo daquilo! Nem dá muito trabalho estudar. É claro que muito deste gosto é também por culpa do professor. O meu professor é um médico excepcional com uma carreira do caraças! É muito, muito simpático e óptimo professor. Sabe imensas coisas e explica muito bem. Basta estar com um pouco de atenção e percebe-se bem a matéria. Que todos os professores fossem assim! Não é uma cadeira fácil pois tem muitos mecanismos a saber, mas é uma área sensacional! Quem sabe se no futuro não vou parar a algo relacionado com esta área!

17
Jan14

Awkward Parte II

Depois do último post exercitei todo um processo reflectivo e percebi que ao fim de contas aquele não é o único professor estranho que encontrei no meu percurso académico. O ano passado tinha um que era professor/dançarino de danças de salão cujo facebook estava inundado de tais fotografias maravilhosas de concursos e competições em que todo um gel se abatia sobre aquele cabelo e base na cara até dizer chega. Lindo de se ver! Só para não falar de que tem apenas mais uns 6 anos do que eu, o não o tratar por tu era uma tarefa complicada. O que vale é que até era bastante simpático e bom professor. Disso não me podia queixar! Outra professora minha foi descoberta pelo youtube a correr atrás de cães, vejam lá. Participa em corridas de cães, daquelas com obstáculos e tudo. Coisa profissional. Mas aquilo de vê-la a correr atrás do cão é uma imagem que se abate sobre minha cabeça nas aulas e me desconcentra. Não sei, é estranho. Com isto podem perceber que eu juntamente com os meus colegas somos uns grandes stalkers e que os professores, para além da carreira académica, têm um outro lado que, por vezes, ultrapassa o estranho. Contem-me coisas esquisitas que saibam dos vossos professores. Apetece-me rir!

22
Out13

Amanhã há frequência

Amanhã é o grande dia da frequência. Estou tão empolgada! (not)

Terminei mesmo agora de estudar os 9 magníficos capítulos que o Sr. Professor disse que saíam na frequência.

Se ficou alguma coisa? Pouca, muito pouca. Já baralho tudo, troco as reacções todas, os nomes das enzimas... Isto é realmente uma confusão.

Não me sinto lá muito preparada, essa é que é a verdade. Estou mesmo com aquela sensação de que vou chumbar e não me apetecia mesmo nada porque se a cadeira já é difícil por avaliação contínua imaginem por exame. É o terror.

Esta noite ainda quero rever todos os capítulos outra vez. Deve ser verdade... Como se eu conseguisse fazer tal coisa, só se não dormisse.

É engraçado como acredito em coisas impossíveis, aposto que leio para aí 3 e caio logo para o lado. A ver vamos. 

Pelo menos já tenho café (sim, fui de propósito comprar. manias...) para me acompanhar nesta longa noite.

Na última noite só dormi 4h mas estranhamente estou cheia de pica.

Bora lá! Se têm muito que estudar como eu, venham aqui que eu dou-vos uma forcinha!

Quando alguém nos motiva é sempre mais fácil :)

Amanhã devo aparecer aqui a dizer que o mundo vai acabar, porque o teste me correu super mal. De certeza.

E acho que já estão fartos de me ouvir a lamentar sobre o quão má vai ser esta frequência, por isso vou-me calar!

Bons estudos!

30
Ago13

Dicas para a Universidade #2

Olá :) Hoje falo sobre as aulas. Sempre houve, e ainda há, uma grande dúvida relativamente às aulas, o ir ou não ir.

O que vos posso dizer é que na faculdade não é crime nenhum faltar a algumas aulas. Por vezes, até é melhor para nós, se aproveitarmos bem esse tempo.

Para começar é necessário perceber se vos marcam faltas ou não. Tudo depende da faculdade. Na minha, não levamos faltas nas aulas teóricas e teórico-práticas, mas temos falta se não formos às aulas que são exclusivamente práticas, como as de laboratório. Mesmo dentro da mesma faculdade, isto depende de curso para curso.

Por isso, às aulas práticas nunca faltei. No que toca às teóricas, não vou mentir, chegaram a existir cadeiras a que me limitei a ir a 2 ou 3 aulas porque vi que não ganhava nada com aquilo.

Para decidir se vamos ou não, o principal é perceber se vale a pena ir.


Para isso, temos que avaliar como é que funcionam as aulas dessa cadeira e, principalmente, o professor. Assim, será necessário ir às 2/3 primeiras aulas para perceber se estamos a aprender alguma coisa lá.

 

OS VÁRIOS TIPOS DE PROFESSORES

(vou referenciar os que existem em maioria na minha faculdade)


                Os professores que não utilizam qualquer suporte (powerpoints, acetatos, etc.) e apenas falam a aula inteira.


Nestes casos penso que valerá a pena ir às aulas. Visto que o professor não mostra nem dá qualquer suporte visual ou escrito, terão de tirar os vossos próprios apontamentos para poderem estudar para as frequências.

 

                Os professores que utilizam powerpoints para dar a matéria mas que não os facultam aos alunos.


Bem estes são um pouco mauzinhos, não?! Não lhes custava nada darem os ppts visto que já tiveram o trabalho de os fazer. Se calhar será melhor ir também a estas aulas para tirarem apontamentos ou, quem sabe, caso sejam mais preguiçosos, capturar de alguma forma os powerpoints (eu não disse isto ok? :p)


                Os professores que dão as aulas simplesmente a ler o que está “escarrapachado” nos powerpoints e não acrescentam nada de novo ao que lá está escrito.


Estes professores geralmente são aqueles que fornecem os powerpoints, portanto não vão ganhar muito em ir a estas aulas visto que podem estudar tudo o que é falado na aula em casa.

 

Existem mais tipos de professores mas não posso enumerar todos se não o post fica (ainda) mais extenso.

 

RESUMINDO:

Aulas que vale a pena ir:

- Áreas da Matemática, Cálculo, Químicas. Basicamente tudo o que envolva cálculos! É melhor ir às aulas para perceber como se faz porque é muito mais difícil aprendê-lo sozinho em casa a ler os livros.

 

Aulas que podem dispensar:

- Normalmente aquelas cadeiras que são mais fáceis e que se passa sem ser necessário um grande estudo.

- Cadeiras essencialmente teóricas em que chega perfeitamente estudar pelos livros em casa.

 

CONSELHO ESSENCIAL:

Se resolverem faltar a algumas aulas, não o façam só porque sim...

Tentem rentabilizar esse tempo!

Façam um trabalho que esteja mais atrasado ou estudem para uma cadeira mais difícil.

Invistam esse tempo em algo útil.

Assim vão estar a faltar as aulas mas o tempo será utilizado de uma boa forma :)

 

Espero que gostem deste post!

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Segue-me

Follow

Mensagens

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D