Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vida de uma Estudante Universitária

A visão de uma estudante universitária sobre a sua vida académica e pessoal.

Vida de uma Estudante Universitária

A visão de uma estudante universitária sobre a sua vida académica e pessoal.

02
Ago15

O lado positivo

A solteirice é na sua maioria uma coisa chata. Pelo menos quando já dura há algum tempo. Não é surpresa para ninguém - até porque já falei aqui algumas vezes nisso - a minha opinião quanto a este assunto. Às vezes chateia-me, é verdade. Principalmente naqueles dias em que nem dois quilos de chocolate nos consolam. Nesses dias, é algo que me incomoda mesmo e com o qual não me sinto bem. Nos restantes, consigo lidar bem com a situação. Já por aqui se sabe que neste momento me encontro solteira. Não se pode dizer que seja por opção ou por outra coisa qualquer. Simplesmente ainda não aconteceu. Não apareceu "A" pessoa. A tal que nos tira o sono. E por isso vou vivendo a minha vida sem me preocupar muito com o assunto. Sinceramente neste momento é algo que não me perturba muito. É claro que gostava de ter alguém que aturasse toda a minha parvoíce e cuja felicidade dependesse da minha. Mas se não aconteceu, não vou morrer por causa disso. Se observarmos tudo ao pormenor, percebemos que ser solteiro não é tão mau quanto isso. E eu reparei muito nesse aspecto durante estas últimas duas semanas de férias. Alguns dos meus amigos encontram-se numa relação e foram de férias sem os respetivos. Acho muito bem. Não têm que andar sempre agarrados. Se bem que a vida deles se torna muito mais limitada. Não podem fazer tudo o que querem sem dar justificações. Não se podem esquecer que têm alguém noutro lado que se preocupa. E enquanto eu abandonava o meu telemóvel em qualquer canto e só lhe pegava no final do dia, eles tinham que fazer chamadas. Dar notícias. Alguns foram embora mais cedo por causa das relações. Parecendo que não, às vezes torna-se ligeiramente limitante. Nem tudo é mau na solteirice. Podemos andar à vontade. Podemos ir onde queremos, com quem queremos, sem dar justificações a ninguém. Se ser solteiro tem alguma vantagem, a liberdade é claramente uma delas.

09
Jul14

Last Single

Mais uma amiga minha se perdeu para o mundo dos comprometidos.  Mais uma alma levada pelo santo casamenteiro, atingida em cheio pelo cupido. Mais uma das poucas que restavam. Agora só me restam mais duas! E pelo andar da carruagem vão abandonar-me e passar também para o lado de lá mais depressa do que eu imagino. Como podem ver, ao meu redor, existem muitos casais. Eu nem me importo com isso. São meus amigos, convivo muito bem com eles e não me faz qualquer impressão o facto de serem namorados. As coisas mudam de figura é quando eu fico sozinha no papel principal de solteira-mor. Podem-me chamar egoísta, mas é verdade. Com isto não quero dizer que quem resta não se pode comprometer só porque eu não quero. Claro que não! Isso nem teria qualquer sentido. É óbvio que quero que os meus amigos sejam todos felizes, lamechas, tenham muitos filhos e essas coisas todas. Só acho chato para quem fica solteiro. Eu provavelmente nem para tia vou ficar. É que não tenho irmãos, logo não terei sobrinhos. Se calhar vou ser daquelas velhas chatas que vivem com 10 gatos e que vão para os bailaricos ao domingo à tarde para ver se engatam. Com sorte, nessa altura ainda conseguirei algum que se aguente sem bengala. Nem tudo nesta vida é mau mas eu imagino sempre os piores panoramas...